A ansiedade é uma característica natural do ser humano, que antecede momentos em que o cérebro entende como situações de perigo real ou imaginário, dúvida ou expectativa. A ansiedade que antecede eventos importantes na vida de uma pessoa (como por exemplo: provas, casamento, viagem, mudanças, etc), é considerada normal e serve para ajudar a enfrentar os desafios. No entanto, dependendo do grau e da frequência, esse fenômeno pode se tornar patológico e resultar em transtornos de ansiedade, que se caracterizam por preocupações e medos exagerados, sensação contínua de que um desastre ou algo muito ruim vai acontecer, cuidado excessivo com a saúde, dinheiro, família ou trabalho, falta de controle sobre pensamentos, entre outros sintomas.


Sinais e sintomas de Ansiedade

A ansiedade se manifesta com desconforto emocional, sensação de inquietude, preocupação exagerada e, também com sintomas físicos, que são facilmente identificados, pois ela causa sensações corporais desagradáveis. O aumento dos batimentos cardíacos é um dos primeiros sintomas, podendo ser acompanhado de dores no peito, falta de ar e cansaço. Além disso, transpiração fria e intensa, principalmente nos pés e mãos, frio no estômago, tensão muscular, tremores e náusea são alguns dos sintomas mais comuns. Por vezes, a sensação da ansiedade pode ser tão desconfortável que, para evitá-la, a pessoa deixa de fazer coisas simples, como usar um elevador, por exemplo. A ansiedade pode trazer grande sofrimento e prejuízos em áreas importantes da vida, como por exemplo: pessoal, familiar, social e profissional

Quais são as causas de Ansiedade?

A ansiedade é a maneira do organismo se preparar para momentos de perigo real ou imaginário – ela antecede estes momentos. É como um alerta do corpo para que ele se defenda diante de uma possível ameaça. Algumas situações clínicas também podem gerar ansiedade tais como: hipertiroidismo, uso de substâncias psicoativas (estimulantes em geral, por exemplo anfetaminas) ou na abstinência (abstinência ao álcool, por exemplo).

Como reconhecer a Ansiedade e quando buscar ajuda?

Quando a ansiedade começa a interferir no dia a dia, é hora de buscar ajuda de um psiquiatra para identificar as causas e abordar o transtorno. Para isso, é necessário reconhecer o problema, entender que é possível aliviar o sofrimento e deixar o preconceito de lado. A identificação da ansiedade é realizada através dos sintomas e sinais apresentados pela pessoa durante a consulta médica. Alguns exames podem ser necessários para afastar outras doenças envolvidas, mas não há exame específico para detectar a ansiedade.

Como combater a Ansiedade?

Aprender a relaxar, praticar atividades físicas, ter uma alimentação saudável, organizar a rotina, priorizar as coisas importantes, não se sobrecarregar, ter práticas de lazer, são dicas que podem ajudar no controle da ansiedade. Além disso, é recomendado o acompanhamento de um médico psiquiatra aliado ao uso de medicamentos específicos. Outra medida importante, é a associação da psicoterapia, principalmente para identificar se existem fatores emocionais precipitantes ou que intensificam os sintomas ansioso.

Tipos de Ansiedade 

Os principais transtornos de ansiedade são: Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) – caracterizado por excesso de preocupação e angústia que geram sofrimento pessoal intenso; Síndrome do Pânico – compreende crises súbitas e intensas de desespero e medo de que algo ruim aconteça, mesmo sem uma causa aparente; Fobia Social – medo e fuga de situações sociais; Fobias Simples – medo extremo de objetos e situações específicas (elevador, altura, lugar fechado, etc.); Transtorno do Estresse Pós-traumático – lembranças recorrentes de algum trauma (assalto, sequestro, guerra, etc), e Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) – caracterizado por pensamentos repetitivos e obsessivos que acabam por criar rituais (compulsões), numa tentativa de alívio dos problemas.

Dra. Marina Odebrecht Rosa, CRM: 107447 – SP | RQE: 47901. Dr. Moacyr Alexandro Rosa, diretor técnico, CRM: 69816 – SP | RQE: 47876. IPAN – Instituto de Psiquiatria Avançada e Neuromodulação. Todos direitos reservados. O texto pode ser usado desde que a fonte seja citada.

Referências:

  • American Psychiatric Association (APA). Diagnostic and statistical manual of mental disorders: DSM-V. 5th ed. APPI – American Psychiatric Association / John Scott and Company; 2013.
  • Benjamin J. Sadock, Virginia A. Sadock and Pedro Ruiz. Kaplan and Sadock’s Comprehensive Textbook of Psychiatry. LWW; Ed.: Tenth, 2 Vol, 2017.