42006jul

A dissertação de Mestrado da Dra. Marina Odebrecht Rosa apresentada na Universidade de São Paulo (USP), em 04 de Julho de 2006, estudou os efeitos da EMTr nas alucinações auditivas da esquizofrenia super-refratária. O estudo concluiu que a EMTr ativa em associação com a clozapina pode ser administrada com segurança para tratar alucinações auditivas.

“Efeitos da estimulação magnética transcraniana de repetição nas alucinações auditivas da esquizofrenia super-refrataria” (Effects of repetitive transcranial magnetic stimulation on auditory hallucinations of patients with schizophrenia refractory to treatment).

Resumo:

Onze pacientes com diagnóstico de esquizofrenia pelo DSM-IV-TR e alucinações auditivas mesmo em uso de clozapina foram distribuídos aleatoriamente para receber estimulação magnética transcraniana de repetição (EMTr) ativa (n=6) ou inativa (n=5) no córtex têmporo-parietal esquerdo. Um total de 160 minutos de EMTr a 1 Hz foi administrada ao longo de 10 dias, 90% do limiar motor, com desenho paralelo, com pacientes e avaliadores cegos, em desenho controlado com grupo inativo. Houve um efeito de grupo significativo nos escores da escala de alucinações (realidade e influência: p=0,0360 e p=0,0493 respectivamente) e no subitem sintomas positivos da PANSS. A EMTr ativa em associação com clozapina pode ser administrada com segurança para tratar as alucinações auditivas. Embora a amostra consistia de pacientes extremamente refratários, estes resultados sugerem haver alguns efeitos da EMTr a 1 Hz no córtex têmporo-parietal esquerdo.


“Efeitos da estimulação magnética transcraniana de repetição nas alucinações auditivas da esquizofrenia super-refrataria” (Effects of repetitive transcranial magnetic stimulation on auditory hallucinations of patients with schizophrenia refractory to treatment), USP, São Paulo, 2006.