12017fev
Arrumação do cérebro

A medicina descobriu duas inestimáveis aplicações da Estimulação Magnética Transcraniana (EMT): alivio para dores crônicas e controle de doenças psíquicas.

ipan tratamento estimulacao magnetica (emt)Cânceres, acidentes cardiovasculares, infecções e AIDS são algumas das patologias que matam no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). O que elas têm em comum é a presença de dor, o que compromete a qualidade de vida dos pacientes.
A dor crônica está relacionada a padrões cerebrais. Ainda que a medicina não consiga debelar a doença em si, pode proporcionar alívio ao sofrimento. Isso é possível graças à plasticidade de cérebro, ou seja à capacidade de a rede neural se remodelar. Existe uma tecnologia que facilita esse rearranjo: a Estimulação Magnética Transcraniana (EMT).

Saiba mais sobre EMT!
“O equipamento gera um campo magnética localizado em regiões estratégicas, que leva ao fenômeno conhecido como plasticidade cerebral. Nele, a rede de neurônios passa a funcionar de forma mais integrada e eficiente, justamente o oposto do que a doença fazem com  o cérebro”, explica o médico psiquiatra Roberto Borges, da Clínica Pacífico.
A boa nova é que a EMT vem sendo usado também com sucesso no controle de males psíquicos, tais como depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia. “Esses pacientes podem e devem realizar o tratamento. Há, inclusive, uma resolução do Conselho Federal de Medicina ( CFM) nesse sentido (res. Nº 1986/2012).”

Tempo de tratamento

O tempo médio de submissão ao tratamento varia de dez a vinte sessões, à depender da resposta clínica do paciente. As sessões durem 30 minutos e devem ser realizadas diariamente, exceto aos fins de semana.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais são mínimos e atingem apenas uma pequena parcela dos pacientes. Os mais comuns são: dor de cabeça, dor no local de aplicação do tratamento tontura, náuseas e desconforto auditivo. São desconfortos passageiros, segundo o especialista.

Idade recomendada

O tratamento vem sendo ministrado com sucesso em adultos e adolescentes. Quanto às crianças, ainda faltam estudos sobre impacto no desenvolvimento cerebral. Por enquanto, é prescrito apenas para crianças com paralisia cerebral.

Tratamentos concomitantes

A EMT é muito indicada para pacientes com depressão refratária, ou seja, aqueles que não reagem à abordagem medicamentos nem à psicoterapia. Mas pode ser usado de forma suplementar, sem excluir outros medicamentos.

Palavra de especialista

Todos podem se submeter ao tratamento?

Além da indicação precisa, é importante que o paciente não apresente as seguintes condições: implante coclear, histórico de convulsão, epilepsia, clipe metálico no cérebro, gravidez e tendência a desmaios.

De que maneira a EMT auxilia na contenção de dor?

Diversos estudos relataram efeitos analgésicos em quadros de dor crônica. Seu mecanismo subjacente permanece desconhecido. A suposição é que a ação da EMT no córtex produza efeitos locais que servem para normalizar a atividade neurotransmissora no circuito da dor. Alguns autores correlacionam a melhora da dor com a alteração de algumas medidas de excitabilidade do córtex cerebral, envolvendo possivelmente neurotransmissores gabaérgicos e glutamatérgicos.

Quais são as vantagens dessa abordagem em relação às outras disponíveis?

É uma técnica segura e não  invasiva. A principal vantagens é o baixo perfil de efeitos colaterais e a possibilidade de oferecer mais uma opção terapêutica, principalmente para aqueles pacientes que, por conta dos efeitos colaterais, rejeitam os medicamentos indicados ou não obtém resposta satisfatória.
Portanto, a EMT é um importante item no arsenal terapêutico da chamada neuromodulação.

Guilherme Lozi Abdo é médico psiquiatra do IPAN!

Agradecimento, Nasser Allan, neurologista e pHD em neurociências.
Correio Braziliense, Brasília, domingo 1º de Janeiro de 2017. Thiago Fagundes