132012out

Os transtornos depressivos constituem em subgrupos dos transtornos do humor, antigamente denominados doenças afetivas.

Humor é uma das dimensões do psiquismo mais conhecida, mas uma das mais difíceis de se definir. Pode-se dizer que é um estado afetivo duradouro que permeia o comportamento e eficiência no modo do indivíduo reagir ao ambiente, às pessoas e aos acontecimentos. É a reação que temos aos mais diferentes acontecimentos com alegria, tristeza ou indiferença.

Esta reação pode consistir em variados graus de alegria, tristeza, indiferença, irritabilidade entre outros.

Dentro dos transtornos do humor estão os transtornos depressivos.

Classificação

Uma primeira classificação geral subdivide os transtornos depressivos em bipolares e unipolares, classicamente de acordo com a ocorrência prévia ou não de episódio maníaco ou hipomaníaco nos primeiros e ausência destes nos segundos.

Apesar de não ser um critério unânime, as manifestações da depressão uni ou bipolar seriam semelhantes.

A depressão pode ser subdividida de acordo com:
1) O curso;
2) A intensidade e duração dos sintomas;
3) A predominância de alguns sintomas;
4) A época de início ou surgimento de episódios.

Curso: refere-se ao número de episódios, que pode ser um episódio único ou mais de um. Neste último caso se chamaria transtorno depressivo recorrente.

De acordo com a intensidade dos sintomas, pode-se classificar em leve, moderada e grave.

Depressões leves com durações longas de episódios são chamadas distimia, enquanto que depressões com qualquer intensidade por tempo mais curto são chamadas apenas transtorno depressivo. Sintomas moderados e graves caracterizam a chamada depressão Maior.

Predomínio de sintomas: subtipos de depressão são nomeados de acordo com o conjunto predominante de sintomas. Como exemplo:
a) Depressão melancólica com predomínio de sintomas vegetativos (insônia e inapetência) e características circadianas (pior pela manhã);
b) Depressão atípica (sonolência excessiva e aumento do apetite);
c) Pseudo demência (sintomas de prejuízo cognitivo, ou seja, do entendimento);
d) Depressão psicótica (presença de delírios e/ou alucinações).

Por fim, alguns episódios aparecem em épocas determinadas, como a depressão sazonal e a depressão pós parto.

Dra. Marina Odebrecht Rosa, CRM: 107447 – SP | RQE: 47901. Dr. Moacyr Alexandro Rosa, diretor técnico, CRM: 69816 – SP | RQE: 47876. IPAN – Instituto de Psiquiatria Avançada e Neuromodulação.