O que é Estimulação Magnética Transcraniana? | Como surgiu? | Está regulamentada? | Como funciona? | Quais as indicações? | Quais as contraindicações? | Quais os efeitos colaterais?| Quem realiza as aplicações? | Como são as aplicações? | Quantas sessões?| Qual a frequência? | Qual é a duração da sessão? | Existe algum cuidado especial? | Qual a eficácia? | Como é a manutenção? | Posso tomar minhas medicações durante a aplicação? | É seguro? | É reconhecido pelo CFM? | Existem complicações? Como funciona o reembolso pelos convênios?

O que é Estimulação Magnética Transcraniana?


A Estimulação Magnética Transcraniana – EMT é uma técnica inovadora no tratamento da depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia e de outras doenças psiquiátricas, que utiliza ondas magnéticas para restabelecer o funcionamento cerebral.

Como surgiu a Estimulação Magnética Transcraniana?

D'Arsonval com o aparelho de EMT

A Estimulação Magnética Transcraniana surgiu no Séc. XIX, em 1896, quando o médico, físico e inventor francês Jacques-Arsène D’Arsonval começou a pesquisar os efeitos do magnetismo sobre as emoções.

Já nos anos 40, iniciaram-se pesquisas com estímulos magnéticos na fisiologia animal, sendo que o primeiro equipamento estimulador magnético semelhante ao utilizado hoje surgiu, em 1985, na Grã-Bretanha.

Nos anos 90, a técnica começou a ser pesquisada e utilizada em estudos nos Estados Unidos e, em 1992, a Estimulação Magnética Transcraniana começou a ser aplicada na psiquiatria, com resultados promissores no tratamento da depressão, esquizofrenia e de outras doenças.

A Estimulação Magnética Transcraniana é regulamentada para tratamento clínico?

Sim. Em 2002, foi aprovado o uso da Estimulação Magnética Transcraniana no Canadá, e em outubro de 2008, nos EUA.

No Brasil, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) registrou o aparelho de Estimulação Magnética Transcraniana (Registro número: 80342230003) em março de 2007.

Outro marco importante foi a aprovação da Estimulação Magnética Transcraniana pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), em maio de 2012. A Resolução CFM nº 1.986 de 2012 caracteriza a Estimulação Magnética Transcraniana como ato médico e reconhece sua eficácia no tratamento da depressão unipolar/bipolar e da esquizofrenia (nas alucinações auditivas).

Em dezembro de 2012, a Câmara Técnica Permanente da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), na Resolução AMB Nº 13, aprovou o reembolso dos convênios para o tratamento com Estimulação Magnética Transcraniana.

Código do procedimento de Estimulação Magnética Transcraniana na CBHPM 2013: 2.01.04.41-3.

Atualmente, a Estimulação Magnética Transcraniana vem sendo amplamente estudada em diversas outras doenças, tais como: dependência química (principalmente cocaína, maconha, crack e tabagismo), síndrome do pânico, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), transtorno de ansiedade generalizada (TAG), distimia, transtorno do estresse pós-traumático (TEPT), síndrome de Tourette, epilepsia, zumbido, doença de Parkinson, transtorno bipolar, transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), fibromialgia, dor crônica e demências.

Como funciona a Estimulação Magnética Transcraniana?

slide

Mecanismo de ação da EMT

Por meio de ondas magnéticas, geradas por um equipamento desenvolvido especialmente para a Estimulação Magnética Transcraniana, é feita a estimulação ou a inibição de áreas específicas do cérebro, com o objetivo de restabelecer o funcionamento cerebral. De uma forma geral, essas ondas magnéticas modulam os neurotransmissores como a serotonina, dopamina, noradrenalina e glutamato, responsáveis por propagar os impulsos nervosos do cérebro e manter o bem-estar.


Quais são as indicações da Estimulação Magnética Transcraniana?


O CFM (Conselho Federal de Medicina) regulamentou o uso da Estimulação Magnética Transcraniana e publicou uma resolução determinando o uso exclusivamente por médicos, nas seguintes situações:
– Depressão unipolar;
– Depressão bipolar;
– Esquizofrenia (nas alucinações auditivas);
– Planejamento de neurocirurgia.

A Estimulação Magnética Transcraniana é indicada em depressões leve e moderada. Pode ser utilizada em quadros refratários e intolerantes aos efeitos colaterais das medicações.

Pode estar indicada em outros transtornos mentais quando há um quadro depressivo associado.

No entanto, cada caso deve ser avaliado separadamente e com muita cautela.

Quais são as contraindicações da Estimulação Magnética Transcraniana?

A Estimulação Magnética Transcraniana não é indicada a pessoas que sofreram algum tipo de neurocirurgia (com clipe metálico inserido), que possuem aparelho biomédico (como marca-passo), e em casos de epilepsia não tratada. No entanto, cada caso deve ser avaliado separadamente pelo médico psiquiatra.

Quais são os efeitos colaterais da Estimulação Magnética Transcraniana?

A Estimulação Magnética Transcraniana praticamente não apresenta efeitos colaterais e é bem tolerada pelos pacientes. Algumas pessoas podem ter leves dores de cabeça e vermelhidão no local da aplicação, que melhoram com analgésicos comuns. Pode surgir certo desconforto no ouvido, em decorrência do barulho produzido pelo estimulador, mas este pode ser evitado com a utilização de protetores auriculares.

Quem realiza as aplicações de Estimulação Magnética Transcraniana?

Conforme a resolução do CFM (Conselho Federal de Medicina), as sessões de Estimulação Magnética Transcraniana devem ser realizadas pelo médico. É um procedimento que trata doenças, gera efeitos terapêuticos, efeitos colaterais e alguns riscos, por isso é fundamental que as aplicações sejam realizadas por médicos devidamente treinados.

Como são as aplicações de Estimulação Magnética Transcraniana?

O tratamento de Estimulação Magnética Transcraniana é realizado no consultório, com o paciente acordado e sentado em uma poltrona. Ao término da sessão, o paciente pode voltar para casa, lembrando que, antes do início e ao longo do tratamento, é devidamente acompanhado pelo psiquiatra.

Quantas sessões de Estimulação Magnética Transcraniana são necessárias?

O número de aplicações de Estimulação Magnética Transcraniana não segue um padrão determinado e há um consenso de que não deve ser previamente fixado, pois depende de vários fatores como: diagnóstico, gravidade, refratariedade e cronicidade. Mas pode-se dizer que a maioria dos pacientes requer entre 15 a 20 sessões.

Qual é a frequência das aplicações de Estimulação Magnética Transcraniana ?

As sessões de Estimulação Magnética Transcraniana são diárias (de segunda a sexta-feira, com intervalo aos fins de semana), até que o efeito terapêutico seja atingido. Após a etapa inicial, será ministrado um tratamento de manutenção com sessões gradativamente espaçadas.

Qual é a duração da sessão de Estimulação Magnética Transcraniana?

Cada sessão de Estimulação Magnética Transcraniana dura, aproximadamente, 30 minutos.

Existe algum tipo de cuidado especial com a Estimulação Magnética Transcraniana?

Não, durante o tratamento com Estimulação Magnética Transcraniana as atividades rotineiras dos pacientes podem ser seguidas normalmente, como trabalhar, estudar, se exercitar etc.

Qual é a eficácia do tratamento de Estimulação Magnética Transcraniana?

Em primeiro lugar, é preciso dizer que a eficácia da Estimulação Magnética Transcraniana está relacionada à: indicação correta, diagnóstico, gravidade, cronicidade, refratariedade de cada caso, número adequado de sessões, aplicação correta da técnica, entre outros. A taxa de eficácia gira em torno de 50 a 70%.

Como é feito o tratamento de manutenção da Estimulação Magnética Transcraniana?

Quando há resposta positiva com a Estimulação Magnética Transcraniana, recomenda-se a manutenção das aplicações com redução gradativa na frequência, que pode ser semanal, quinzenal ou mensal, conforme avaliação e indicação.

Posso tomar minhas medicações durante as aplicações de Estimulação Magnética Transcraniana?

Em geral, as medicações podem ser continuadas ao longo das sessões de Estimulação Magnética Transcraniana. No entanto, cada caso deve ser avaliado individualmente.

A Estimulação Magnética Transcraniana é um tratamento seguro?

Sim, a Estimulação Magnética Transcraniana é um tratamento seguro. Porém, é importante ser realizado por médicos especialistas, como determina a resolução do CFM.

É reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM)?

A Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é um tratamento reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), resolução número: 1.986/2012 e o aparelho de EMT está registrado na ANVISA, registro número: 80342230003.

Confira a resolução completa do CFM Aqui!

Confira o registro da ANVISA Aqui!

O reconhecimento pelo CFM foi um marco importante na indicação da Estimulação Magnética Transcraniana para tratamento da depressão unipolar/bipolar e da esquizofrenia (nas alucinações auditivas). A resolução do CFM determina que as sessões de EMT sejam realizadas somente por médicos, alertando a população para estar atenta às clínicas que não seguem essa diretriz.

No IPAN somente médicos psiquiatras especializados na técnica aplicam as sessões de EMT.

Conheça o corpo clínico do IPAN!

Existem complicações com a Estimulação Magnética Transcraniana?

O que inspira cuidados na prática da Estimulação Magnética Transcraniana é o risco da indução de convulsões. No entanto, quando o tratamento é realizado por médicos especialistas este risco é praticamente inexistente.

Como funciona o reembolso pelos convênios?

Parte dos convênios e operadoras de saúde concede reembolso para tratamento de Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) a pacientes diagnosticados com depressão unipolar ou bipolar e esquizofrenia (nas alucinações auditivas). Para solicitar o reembolso, consulte as condições de seu convênio.

O IPAN tem parceria com o convênio Omint e Green Life. Para saber mais informações, entre em contato conosco.

Para outras informações, consulte os links abaixo ou obtenha informações na Associação Médica Brasileira ou no site da ANS – Agência.

• RESOLUÇÃO NORMATIVA CNHM Nº 013/2013 AOS MÉDICOS, HOSPITAIS E ENTIDADES CONTRATANTES

Dra. Marina Odebrecht Rosa, CRM: 107447 – SP | RQE: 47901. Dr. Moacyr Alexandro Rosa, diretor técnico, CRM: 69816 – SP | RQE: 47876. IPAN – Instituto de Psiquiatria Avançada e Neuromodulação