Infelizmente, em pleno Século XXI, ainda existe preconceito em relação a pacientes que sofrem de depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia e outras doenças. É a chamada Psicofobia. Em geral, pessoas mal informadas e sem compaixão classificam portadores de transtornos e de deficiências mentais como “loucos”, e psiquiatras e psicoterapeutas, como “aproveitadores”. Essa leitura revela uma visão totalmente distorcida sobre as limitações dos pacientes e do papel de dos profissionais na vida dessas pessoas.

Dentre as ações que colaboram para a conscientização da sociedade está a disseminação de informação de qualidade. Nós, do IPAN, procuramos fazer isso, começando aqui pelo nosso site, com conteúdos relevantes que esclarecem sobre a importância dos tratamentos na vida desses indivíduos que sofrem com o preconceito. Informando-se e compartilhando esse conhecimento você nos ajuda a vencer essa barreira e a conscientizar mais e mais pessoas.

Sabia que, em geral, transtornos e deficiências mentais são mais comuns do que imaginamos: pesquisas revelam que uma em cada quatro pessoas tem problemas de saúde mental e, muito provavelmente, você pode conhecer ou amar alguém que já teve um transtorno mental. Por isso é tão importante se colocar no lugar do outro e tentar entender limitações que, muitas vezes, estão aquém da vontade e da capacidade da pessoa de lidar de forma diferente com aquela questão. Com a conscientização e mudança de postura podemos vencer o preconceito.

Aqui no IPAN são diversos os tratamentos que colaboram para que pacientes recuperem a alegria de viver e a capacidade de manter sua rotina diária, de acordo com a resposta aos tratamentos.

Se você conhece alguém que sofre de algum transtorno ou deficiência mental, encoraje-o a procurar tratamento. Ao contrário do que se pensa, expor-se a um tratamento psiquiátrico é um ato de muita coragem, pois se confrontar é extremamente doloroso e requer muita força de vontade.

Com o seu apoio e sensibilidade podemos atenuar a dor de pessoas que já sofrem muito e que merecem se verem livres do preconceito. Os pacientes que sofrem com a discriminação, assim como todos os profissionais envolvidos, agradecem.

 

IPAN, campanha contra a Psicofobia.