Obtive melhora significativa em minha depressão!

Com doença de Crohn minha vida ficou complicada e cada vez mais deprimida.

Sofro de depressão há oito anos, desde que fui diagnosticada com a doença de Crohn, por ser muito limitadora, minha vida ficou complicada e cada vez mais me sentia deprimida. A doença de Crohn ataca todo o sistema digestivo e traz inúmeros problemas, dores e até mesmo a impossibilidade de levar uma vida normal. Sofria de dores terríveis, tomava cortisona e cheguei a engordar 30 quilos, sentia dor dia e noite e esta situação só agravava minha depressão.

Já tomava antidepressivos, mas não havia efeitos significativos. Há dois anos conheci o IPAN (Instituto de Pesquisas Avançadas em Neuroestimulação) e comecei a me tratar com a equipe, passei por sessões de EMTr (Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva) sem sucesso no resultado, realizei sessões de ECT (Eletroconvulsoterapia), obtive melhora, mas ainda não estava bem. Foi quando a Dra. Marina e o Dr. Moacyr optaram, com meu consentimento, em aplicar sessões de EMTr dos dois lados do cérebro ao mesmo tempo, um tratamento pioneiro que ainda não havia sido aplicado.

Após as primeiras 15 sessões já comecei a perceber mudanças positivas, depois de 20 aplicações já estava entrando em remissão da doença de Crohn, ou seja, deixei de sentir os sintomas que me abalavam, e obtive melhora significativa em minha depressão. Acredito que meu caso seja único no mundo e será levado ao XXVII Congresso Brasileiro de Psiquiatria pela equipe do IPAN.

Minha melhora veio por meio do conjunto dos tratamentos, tomo remédios, faço EMTr e psicoterapia, atribuo em torno de 50% de minha melhora à psicoterapia realizada. Também sinto que a EMTr potencializa o efeito das medicações. Já havia tomado vários remédios, alguns faziam efeito por algum tempo, mas logo decaia, outros nem chegavam a fazer efeito, troquei por diversas vezes, mas sempre com os mesmos resultados. Agora com a EMTr sinto que os medicamentos fazem o efeito necessário.

Minha remissão da doença de Crohn também foi um fator imprescindível em minha melhora da depressão, minha vida era extremamente limitada e agora já posso sair, viajar e trabalhar sem preocupação e principalmente viver sem as dores constantes. Além de que, se estou bem emocionalmente, dificilmente o Crohn ataca.

Atualmente faço psicoterapia, tomo medicamentos e realizo sessões de EMTr duas vezes por semana e em intervalos de 2 ou 3 meses, quando começo a sentir que não estou tão bem, passo por séries seguidas de aplicações (por volta de 10 ou 20).

Posso dizer que os tratamentos do IPAN e seus profissionais mudaram a minha vida.

E. M. G., 39 anos, comerciante, São Paulo

E. M. G., 39 anos

Comerciante, São Paulo, 2009