Nada se compara ao sofrimento que passou durante a crise!

A ECT (eletroconvulsoterapia) é um tratamento muito eficaz, em nossa experiência constatamos ser a melhor opção disponível. Minha irmã sofre de depressão há mais de vinte e cinco anos e já passou por diversas internações, períodos muito complicados para toda nossa família. Muito preocupada com o estado de saúde dela, passei a pesquisar sobre a doença e seus tratamentos pela internet, foi quando comecei a ler sobre ECT, a eletroconvulsoterapia.

Em 2002, minha irmã fez as primeiras sessões de ECT. No ano seguinte, esteve internada em um Hospital público e passou por oito sessões, quando teve uma melhora significativa. Em janeiro deste ano (2009), a depressão agravou-se com quadros de alucinações. Ela esteve internada em dois hospitais públicos, em um deles fez cinco sessões de ECT, mas não foram suficientes e ela não apresentou melhora. O tratamento na rede pública é muito complicado, a dificuldade de conseguir atendimento é grande.

Comecei então, a pesquisar na Internet sobre tratamentos particulares, encontrei o IPAN. M. iniciou um tratamento com ECT, fez 12 sessões, após a quinta já começou a apresentar melhoras. Apesar do medo que ela tinha antes das sessões, o carinho e dedicação dos médicos e outros profissionais envolvidos foram fundamentais para um tratamento tranqüilo, já que ela não sentia nenhuma dor ou desconforto durante as sessões.

Hoje ela está muito melhor, retomou parte de suas atividades e nossa família está muito mais tranquila. Ela teve perda de memória recente e ainda sente um pouco de angústia, no entanto, nada se compara ao sofrimento que passou durante a crise.

D. R., residente em São Paulo, SP,
irmã da paciente M. C. que recebeu o tratamento de ECT

D. R.

São Paulo, 2009