“Devo à Estimulação Magnética Transcraniana mais do que eu jamais poderia pagar.”

“Em menos de 6 meses de tratamento com EMT, eu pude me recompor após sofrer de depressão, ansiedade e tristeza por mais de 20 anos. A EMT estimula meu cérebro da melhor maneira possível – eu me sinto uma mulher mais confiante, mais forte, com melhora da autoestima”, diz Pagano.

“Magnetismo curou minha depressão”

No mês de agosto, Michele Pagano sorriu pela primeira vez depois de muitos meses sem sorrir.

“Eu estava assistindo um filme, e cai na gargalhada”, diz ela.

Esta simples gargalhada foi um grande acontecimento para Pagano, de 35 anos, que trabalha como gerente e mora em Greenwich, Conn., EUA. Ela já não se lembrava quando tinha sido a última vez que se sentira feliz.

“Eu fiquei tão emocionada em voltar a sorrir”, diz Pagano, que sofre de depressão há 20 anos. Para ela, era um sinal de que a estimulação magnética transcraniana, ou EMT – um tratamento psiquiátrico pouco conhecido – estava funcionando, após inúmeras tentativas com outros tratamentos.

A EMT foi aprovado pela FDA (Food and Drug Administration) em 2008 e, desde então, vem ganhando popularidade. ”Ela estimula a região do cérebro que controla a alegria. Quando está inativa, pode causar a depressão,” diz Dr. Tarique Perera, que trabalha com EMT em sua clínica em Greenwich, segundo The Post.

“Apenas 30% dos pacientes melhoram na primeira tentativa de tratamento com antidepressivo, e cerca de 50 a 60% dos pacientes não melhoram”, diz Perera. “A EMT pode chegar a cerca de 50% de melhora nos casos onde a medicação falhou. Já nos casos onde a EMT é associada aos medicamentos, a melhora pode chegar a 75%.”

A bobina da EMT é posicionada na cabeça do paciente, quando acionada ela dispara ondas magnéticas que, por sua vez, estimulam diretamente o cérebro, durante meia hora. Alguns pacientes sentem um leve desconforto local e dor de cabeça temporária, logo após o tratamento.

magnets2a“Eu descrevo a EMT como uma espécie de pica-pau bicando uma casa de vinil”, explica Pagano. “Pode ser um pouco dolorido, mas eu tenho enxaqueca e não tive dor de cabeça”.

O tratamento normalmente dura de quatro a seis semanas, sendo cinco sessões por semana, mas Pagano recebeu tratamento por quatro meses e ainda vê melhorias. Ela irá continuar a fazer EMT pelo tempo que for necessário. Muitos pacientes fazem o tratamento de manutenção de tempos em tempos, principalmente durante os seis meses subsequentes ao tratamento, diz Perera.

Nos EUA, os seguros de saúde podem cobrir o tratamento se você já tomou medicação, mas não melhorou. Na clínicas particulares, cada sessão custa em media US $ 400.

No seu longo histórico de depressão, Pagano tentou uma infinidade de tratamentos, sem obter sucesso. Segundo ela, a EMT estimulou seu cérebro que esteve dormente durante anos. “A EMT estimula meu cérebro da melhor maneira possível – eu me sinto uma mulher mais confiante, mais forte, com melhora da autoestima”, diz ela. “Eu tenho meus dias bons e meus dias ruins assim como uma pessoa” normal “teria, mas estou muito feliz em dizer que há definitivamente mais dias bons do que ruins.”

Ainda assim, alguns pesquisadores alegam que é preciso ter cautela em relação à eficácia do tratamento, uma vez que, é difícil comparar o tratamento placebo com o método tradicional na psiquiatria. Mas Pagano diz que melhorou o suficiente para acreditar na EMT.

“Em menos de 6 meses de tratamento com EMT, eu pude me recompor após sofrer de depressão, ansiedade e tristeza por mais de 20 anos”, diz Pagano. “Devo à EMT mais do que eu jamais poderia pagar.”

 Michele Pagano, 35 anos, 27 de Outubro, 2016.

Confira a reportagem original New York Post, By Molly Shea!

Michele Pagano, 35 anos

Gerente, Greenwich, Conn., EUA, 2016