Características | Diagnóstico | Sintomas | Tratamento

Características

Se notar que, em questões de minutos, você ou algum conhecido é capaz de alternar estados de euforia extrema com humor altamente depressivo ou irritável, fique atento, pois pode ser um sinal de Transtorno Bipolar.

Embora ainda não se tenha uma resposta exata sobre as causas da doença, sabe-se que está associada a desequilíbrios biológicos e neuroquímicos (até mesmo genéticos), assim como desequilíbrios psicossociais (influência de fatores externos, como a ansiedade e o estresse).

É comum que, tanto pacientes como familiares, sintam muito desconforto com o transtorno, principalmente porque as crises variam muito de intensidade, frequência e duração.

Diagnóstico

O diagnóstico, em geral, é complexo, devido a tratamentos equivocados, ausência de comunicação entre os profissionais envolvidos e desconhecimento sobre as manifestações da doença, por isso é essencial que ao sinal de, pelo menos, três dos sintomas abaixo, a pessoa seja submetida a uma avaliação médica.

Sintomas

Entre os sintomas que marcam os episódios depressivos, destacam-se: humor depressivo ou irritável; alteração de ânimo; desinteresse ou falta de prazer em atividades habituais; falta de concentração; esquecimentos; dificuldade para tomar decisões; isolamento social; experiência subjetiva de grande sofrimento; perda ou aumento de apetite; sentimento de culpa; pensamentos de morte e de suicídio que comprometem a vida como um todo.

Entre os sintomas que caracterizam os episódios de euforia e/ou mania, estão: humor eufórico, expansivo ou irritável; aumento de energia; aceleração do pensamento; fala rápida e difícil de ser interrompida, com frequentes mudanças de assunto; maior interesse sexual; desinibição exagerada e delírios em casos de mania mais graves.

Além destes, existem também os episódios de hipomania, que se caracterizam por sintomas mais brandos em relação aos que marcam os episódios de euforia e/ou mania; a oscilação frequente do humor, onde, em questões de minutos, um indivíduo oscila entre os sintomas de mania, hipomania e depressão, conhecida como ciclagem rápida; a sobreposição de crises depressivas e de euforia, durante um determinado período de tempo, os episódios mistos; e a oscilação entre hipomania e depressão leve a moderada, sem nunca caracterizar um sintomia maníaco-depressivo completo, a ciclotimia.

No passado, o Transtorno Bipolar era chamado de psicose maníaco-depressiva, hoje está classificado em subtipos: Transtorno Bipolar I, a forma clássica, caracterizada por, pelo menos, um episódio de euforia; e Transtorno Bipolar II, caracterizado por, pelo menos, um episódio de hipomania e um de depressão, sem caracterizar episódio de euforia.

Tratamento

Aqui no IPAN somos especializados no tratamento do Transtorno Bipolar e, embora não tenha cura, a doença pode ser controlada com medicamentos, psicoterapia e, em alguns casos, com Estimulação Magnética ou Eletroconvulsoterapia.

Além disso, algumas mudanças no estilo de vida do paciente são fundamentais, como o fim do consumo de substâncias psicoativas (cafeína, anfetaminas e álcool, por exemplo), o desenvolvimento de hábitos saudáveis de alimentação, sono regular, redução dos níveis de estresse e atividades físicas.

A manutenção do tratamento, assim como o acompanhamento da família, ajudam a prevenir recaídas e instabilidade emocional, contribuindo para a qualidade de vida do paciente e de sua família.

Agende uma consulta

Se você ainda tem dúvidas sobre a possibilidade de estar sofrendo de transtorno bipolar, o ideal é agendar uma consulta para avaliação e, caso necessário, começar o tratamento para o controle da doença o quanto antes. Agende a sua consulta:

  • Nome*
  • E-mail*
  • Telefone*
  • Dia*
  • Mês*
  • Ano*
  • Hr.*
  • Min.*