62014abr

Os efeitos da Eletroconvulsoterapia (ECT) na depressão do idoso! Dr. Moacyr fala sobre a “Eletroconvulsoterapia no idoso”  no XXVII Curso, Ciclo de Debates e Mini-Congresso Sobre Neuropsiquiatria Geriátrica.

A depressão no idoso é um transtorno muito comum e frequentemente sub-diagnosticado. A evolução é muitas vezes rápida e grave, devido à menor capacidade adaptativa do cérebro com o passar dos anos. O risco de suicídio está frequentemente aumentado nesta população.

Além da tendência a uma maior gravidade e a uma evolução mais rápida, os idosos costumam ter menor tolerância aos efeitos colaterais das medicações antidepressivas. Por este motivo a eletroconvulsoterapia é uma opção terapêutica muito útil nestas circunstâncias. A evolução técnica que a ECT sofreu nos últimos anos a transformou em um tratamento seguro, indolor e com poucos efeitos colaterais. O uso de posicionamento unilateral de eletrodos e de pulsos ultra-breves reduziu drasticamente os efeitos colaterais cognitivos podendo-se considerar a ECT como uma opção de primeira linha nas depressões graves do idoso.

A apresentação será às 10h do dia 6 de abril de 2014, sábado no auditório da Faculdade de Direito da UFMG.

Evento coordenado pelo professor Dr. Almir Tavares, promovido pelo projeto Lar dos Idosos com apoio do Departamento de Saúde Mental da UFMG.