Deixei de sair com amigos e passava dias trancada no quarto! Com a eletroconvulsoterapia, voltei às atividades diárias!

Há cinco anos sofro com a depressão, parei as atividades escolares, deixei de sair com amigos e passava dias trancada no quarto, evitando contato com os familiares.

Meu psiquiatra me indicou o tratamento com eletroconvulsoterapia (ECT), eu aceitei, mas os familiares, por preconceito, não aprovaram o tratamento, situação que prejudicou minha segurança nas primeiras aplicações. Tudo que eu desejava era obter um resultado positivo em curto prazo.

Fiz quinze sessões e nunca senti os efeitos colaterais do tratamento. Durante as aplicações não senti nada e após, tinha a sensação de estar mais resistente aos pensamentos negativos e com vontade de viver.

Voltei às atividades diárias. Continuo a tomar medicamentos, mas após o ECT alguns deles foram retirados. Indicaria o tratamento no IPAN para outras pessoas que sofram do mesmo mal, a receptividade é muito boa, os profissionais são atenciosos e deixam o ambiente tranquilo e menos apreensível.

T. G., 18 anos, estudante, residente em São Paulo, SP.

——-
*Estes testemunhos são relatos subjetivos, não havendo garantia de melhora para todos que se submetem a estas técnicas. A melhora com o tratamento depende de muitos fatores, variando muito de paciente para paciente. Consulte o seu médico para ver o que é mais indicado para o seu caso.

T. G., 18 anos.

Estudante, São Paulo, 2011.