estimulacao magnetica transcraniana para esquizofrenia

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM-V), a Esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico grave caracterizado por dois ou mais sintomas tais como: alucinações auditivas, visuais, ou sinestésicas, delírios, paranóia, desorganização da fala (incompreensível), catatonia e/ou sintomas depressivos. Estes sintomas devem estar presentes por, pelo menos, quatro semanas.

A esquizofrenia é transtorno mental que acomete pessoas de quaisquer idade, gênero, raça, classes sociais e país. Segundo estudos da OMS (Organização Mundial de Saúde), a esquizofrenia atinge cerca de 1% da população mundial.

Em geral, o tratamento é realizado por medicações antipsicóticas. Recentemente, o Conselho Federal de Medicina (CFM) reconheceu o uso da estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr) para depressão unipolar e bipolar e as alucinações auditivas da esquizofrenia.

A EMTr é uma técnica de neuromodulação que utiliza estímulos elétrico e magnético com o objetivo de restabelecer o funcionamento cerebral.

O alvo da EMTr é estimular áreas específicas do cérebro, por meio de pulsos magnéticos gerados por um equipamento desenvolvido para esta técnica. O tratamento pode gerar mudanças controladas nos neurônios (células do sistema nervoso responsáveis pela condução do impulso nervoso) de regiões específicas do cérebro, ativando-os ou inibindo-os, de acordo com o objetivo terapêutico.

A EMTr é um procedimento médico, que surgiu em 1975, e utiliza estímulos elétrico e magnético com o objetivo restabelecer o funcionamento cerebral. Em Outubro de 2008, o seu uso foi aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration) para a depressão. No Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regulamentou o uso do aparelho de EMTr em março de 2006.

A EMTr tem se mostrado um método seguro, com poucos efeitos colaterais vem sendo utilizada para aliviar as alucinações auditivas da esquizofrenia.

Em 2005, a Dra. Marina Rosa defendeu sua tese de mestrado no tema: “Efeitos da estimulação magnética transcraniana de repetição nas alucinações auditivas da esquizofrenia super-refrataria”. Neste estudo, ela encontrou uma redução das alucinações auditivas em alguns casos.

Dra. Marina Odebrecht Rosa, CRM: 107447 – SP | RQE: 47901. Dr. Moacyr Alexandro Rosa, diretor técnico, CRM: 69816 – SP | RQE: 47876. IPAN – Instituto de Psiquiatria Avançada e Neuromodulação.

Todos diretos reservados

Referências:

  • American Psychiatric Association (APA). Diagnostic and statistical manual of mental disorders: DSM-V. 5th ed. APPI – American Psychiatric Association / John Scott and Company; 2013.
  • “Efeitos da estimulação magnética transcraniana de repetição nas alucinações auditivas da esquizofrenia super-refrataria”. Dissertação de Mestrado. Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IPq/FMUSP), São Paulo, 2006.
  • Neuromodulação Terapêutica – Princípios e Avanços da Estimulação Cerebral não-invasiva em Neurologia. Fregni, Felipe/ Boggio, Paulo Sérgio/ Brunoni, André Russowsky. Editora Sarvier, 2011.