Me. Sabrina Sasso Nobre

CRP-SP: 06/92499

Me. Sabrina Sasso Nobre

CRP-SP: 06/92499

Me. Sabrina Sasso Nobre Psicologa SP

Psicóloga Clínica Sabrina Sasso Nobre, Mestre em Psicologia Clínica de Adultos pela Universidad de Chile; Especialista em Neuropsicologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e Coach pela Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC). Mais de 10 anos de experiência em Psicologia Clínica ajudando as pessoas a compreenderem seus comportamentos, processos mentais, emoções e relações com o mundo.

A psicoterapia busca investigar a queixa do indivíduo e trabalhar a partir do diálogo das questões emocionais, comportamentais e históricas intrínsecas, oferecendo uma abordagem construtiva e psicoeducativa dos sintomas.

Perguntas Frequentes

Psicóloga clínica Construtivista Cognitiva; Especialista em Neuropsicologia.

Uma psicoterapia Construtiva Cognitiva valoriza a complexidade da mudança do paciente, colaborando para que este compreenda e respeite suas experiências e a coragem necessária para se viver a complexidade da vida diária. Os problemas, as crises, as dificuldades que se apresenta no cotidiano exigem esforços e valentia de cada ser humano.

Esta perspectiva entende cada ser humano como: singular e proativo, sendo um agente intencional da sua própria vida, ou seja, as pessoas são criadoras de significados na interação com o meio que demanda novas direções e escolhas a cada dia.

Durante nossa trajetória de vida construímos uma rede invisível de significados onde estamos imersos e é na psicoterapia que paciente e psicoterapeuta, juntos, constroem novas possibilidades de experiências. 

É no ambiente psicoterapêutico que o psicólogo como um especialista em experiência humana e o paciente como o único especialista de sua própria experiência, estabelecem uma relação terapêutica de responsabilidade compartilhada e recíproca e iniciam uma viagem ao mundo interior do sujeito, buscando juntos travar cada batalha e celebrar cada conquista.

A Neuropsicologia é uma interface da Psicologia e da Neurologia que busca investigar a relação entre o funcionamento cerebral, o comportamento e os processos mentais, procurando compreender como o sistema nervoso influencia as funções cognitivas, comportamentais, motivacionais e emocionais. 

O Neuropsicólogo atua na avalição, ou seja, no exame neuropsicológico e no tratamento (reabilitação neuropsicológica) dos distúrbios cognitivos e comportamentais resultantes das disfunções do sistema nervoso.

A avaliação Neuropsicológica tem como objetivos: avaliar as disfunções cognitivas decorrentes de alterações no Sistema Nervoso Central; diagnosticar doenças neurológicas; avaliar efeito de tratamentos; orientar um programa de reabilitação cognitiva, etc.

A Reabilitação Neuropsicológica por sua vez busca, através de uma rotina terapêutica organizada de acordo com a demanda de cada paciente, colaborar com o tratamento das alterações cognitivas e comportamentais resultantes de disfunções cerebrais. Visa ajudar o sujeito a desenvolver seu funcionamento psicossocial de modo a ampliar sua autonomia cotidiana, para assim alcançar a qualidade de vida para si e seus familiares.

Uma série de elementos como, hipótese diagnóstica e a singularidade de cada sujeito, interfere no tempo que a psicoterapia irá durar. Por exemplo: o transtorno de ansiedade tem um tratamento mais curto que o transtorno de personalidade que exige a construção de ferramentas e estratégias para toda a vida.

A maioria das pessoas buscam por ajuda quando seu funcionamento está sendo afetado por uma questão que não consegue resolver sozinho ou sintomas como: tristeza, fadiga, ansiedade, dificuldade para se controlar etc. Outas procuram em momentos da vida que consideram esse apoio importante.

Uma regularidade semanal é a forma mais eficaz de possibilitar que o individuo alcance a melhora dos seus sintomas, pois, permite um trabalho sistemático que possibilita a construção de um encadeamento dos assuntos abordados. Logo, intervalos muito longos entre as sessões podem gerar prejuízo no processo de construção terapêutica.

  • Mestrado em Psicologia Clínica de Adultos pela Universidade de Chile, Santiago;

  • Especialização em Neuropsicologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP);

  •  Curso: Clínica Psiquiátrica pelo Instituto de Psiquiatria (IPQ);

  • Curso: Neuropsicologia da Memória pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE);

  • Curso: Atualização em Neuropsicologia da Memória pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE);

  • Extensão Universitária em Transtorno do Pânico. Universidade Estácio de Sá, UNESA;

  • Graduada em Psicologia pela Universidade Estácio de Sá (UNESA);

  • Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) - Participação de Pesquisa: Influências dos valores das famílias de origem nos relacionamentos conjugais;

  • Universidade Estácio de Sá (UNESA) - Colaboração na equipe de coordenação da 2ª jornada internacional de psicologia clínica com ênfase em esquizofrenia;

  • Integrante do Laboratório de Práticas Sociais do Campus de Niterói de 01/2007 a 06/2008, onde foi realizada pesquisas com o tema Violência de Gênero;

  • Integrante do Laboratório de Práticas Sociais do Campus de Niterói de 01/2007 a 06/2008, onde foi realizada pesquisas com o tema Violência de Gênero;

  • Participação em conjunto com Dr. Manuel Maria Rodriguez Losada do XIV Encontro Nacional da ABRAPSO realizado no período de 31 de outubro de 2007 a 03 de novembro de 2007, na UERJ - Universidade do Rio de Janeiro, RJ, Brasil, com o tema Representações Sociais da violência doméstica contra mulher;

  • Artigo: 'Medo: um paralelo entre a Terapia Cognitivo Comportamental e a Psicanálise';

  • Universidad de Chile - Tese de Mestrado: 'Migração e autopercepção: A experiência de viver entre mundos: Uma perspectiva construtivista cognitiva'; Orientadora: Paula Vergara;

  • Autora do Prefácio do livro: Uma nova vida é possível. Uma conversa que poderá mudar sua vida para sempre. Livro de: Marcelo Possidônio;

curriculo lattes

Me. Sabrina Sasso Nobre Psicologa SP
Me. Sabrina Sasso Nobre Psicologa SP

Me. Sabrina Sasso Nobre

CRP-SP: 06/92499

Me. Sabrina Sasso Nobre Psicologa SP
  • Mestrado em Psicologia Clínica de Adultos pela Universidade de Chile, Santiago;

  • Especialização em Neuropsicologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP);

  •  Curso: Clínica Psiquiátrica pelo Instituto de Psiquiatria (IPQ);

  • Curso: Neuropsicologia da Memória pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE);

  • Curso: Atualização em Neuropsicologia da Memória pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE);

  • Extensão Universitária em Transtorno do Pânico. Universidade Estácio de Sá, UNESA;

  • Graduada em Psicologia pela Universidade Estácio de Sá (UNESA);

  • Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) - Participação de Pesquisa: Influências dos valores das famílias de origem nos relacionamentos conjugais;

  • Universidade Estácio de Sá (UNESA) - Colaboração na equipe de coordenação da 2ª jornada internacional de psicologia clínica com ênfase em esquizofrenia;

  • Integrante do Laboratório de Práticas Sociais do Campus de Niterói de 01/2007 a 06/2008, onde foi realizada pesquisas com o tema Violência de Gênero;

  • Integrante do Laboratório de Práticas Sociais do Campus de Niterói de 01/2007 a 06/2008, onde foi realizada pesquisas com o tema Violência de Gênero;

  • Participação em conjunto com Dr. Manuel Maria Rodriguez Losada do XIV Encontro Nacional da ABRAPSO realizado no período de 31 de outubro de 2007 a 03 de novembro de 2007, na UERJ - Universidade do Rio de Janeiro, RJ, Brasil, com o tema Representações Sociais da violência doméstica contra mulher;

  • Artigo: 'Medo: um paralelo entre a Terapia Cognitivo Comportamental e a Psicanálise';

  • Universidad de Chile - Tese de Mestrado: 'Migração e autopercepção: A experiência de viver entre mundos: Uma perspectiva construtivista cognitiva'; Orientadora: Paula Vergara;

  • Autora do Prefácio do livro: Uma nova vida é possível. Uma conversa que poderá mudar sua vida para sempre. Livro de: Marcelo Possidônio;

Psicóloga Clínica Sabrina Sasso Nobre, Mestre em Psicologia Clínica de Adultos pela Universidad de Chile; Especialista em Neuropsicologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e Coach pela Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC). Mais de 10 anos de experiência em Psicologia Clínica ajudando as pessoas a compreenderem seus comportamentos, processos mentais, emoções e relações com o mundo.

A psicoterapia busca investigar a queixa do indivíduo e trabalhar a partir do diálogo das questões emocionais, comportamentais e históricas intrínsecas, oferecendo uma abordagem construtiva e psicoeducativa dos sintomas.

curriculo lattes

Perguntas Frequentes

Psicóloga clínica Construtivista Cognitiva; Especialista em Neuropsicologia.

Uma psicoterapia Construtiva Cognitiva valoriza a complexidade da mudança do paciente, colaborando para que este compreenda e respeite suas experiências e a coragem necessária para se viver a complexidade da vida diária. Os problemas, as crises, as dificuldades que se apresenta no cotidiano exigem esforços e valentia de cada ser humano.

Esta perspectiva entende cada ser humano como: singular e proativo, sendo um agente intencional da sua própria vida, ou seja, as pessoas são criadoras de significados na interação com o meio que demanda novas direções e escolhas a cada dia.

Durante nossa trajetória de vida construímos uma rede invisível de significados onde estamos imersos e é na psicoterapia que paciente e psicoterapeuta, juntos, constroem novas possibilidades de experiências. 

É no ambiente psicoterapêutico que o psicólogo como um especialista em experiência humana e o paciente como o único especialista de sua própria experiência, estabelecem uma relação terapêutica de responsabilidade compartilhada e recíproca e iniciam uma viagem ao mundo interior do sujeito, buscando juntos travar cada batalha e celebrar cada conquista.

A Neuropsicologia é uma interface da Psicologia e da Neurologia que busca investigar a relação entre o funcionamento cerebral, o comportamento e os processos mentais, procurando compreender como o sistema nervoso influencia as funções cognitivas, comportamentais, motivacionais e emocionais. 

O Neuropsicólogo atua na avalição, ou seja, no exame neuropsicológico e no tratamento (reabilitação neuropsicológica) dos distúrbios cognitivos e comportamentais resultantes das disfunções do sistema nervoso.

A avaliação Neuropsicológica tem como objetivos: avaliar as disfunções cognitivas decorrentes de alterações no Sistema Nervoso Central; diagnosticar doenças neurológicas; avaliar efeito de tratamentos; orientar um programa de reabilitação cognitiva, etc.

A Reabilitação Neuropsicológica por sua vez busca, através de uma rotina terapêutica organizada de acordo com a demanda de cada paciente, colaborar com o tratamento das alterações cognitivas e comportamentais resultantes de disfunções cerebrais. Visa ajudar o sujeito a desenvolver seu funcionamento psicossocial de modo a ampliar sua autonomia cotidiana, para assim alcançar a qualidade de vida para si e seus familiares.

Uma série de elementos como, hipótese diagnóstica e a singularidade de cada sujeito, interfere no tempo que a psicoterapia irá durar. Por exemplo: o transtorno de ansiedade tem um tratamento mais curto que o transtorno de personalidade que exige a construção de ferramentas e estratégias para toda a vida.

A maioria das pessoas buscam por ajuda quando seu funcionamento está sendo afetado por uma questão que não consegue resolver sozinho ou sintomas como: tristeza, fadiga, ansiedade, dificuldade para se controlar etc. Outas procuram em momentos da vida que consideram esse apoio importante.

Uma regularidade semanal é a forma mais eficaz de possibilitar que o individuo alcance a melhora dos seus sintomas, pois, permite um trabalho sistemático que possibilita a construção de um encadeamento dos assuntos abordados. Logo, intervalos muito longos entre as sessões podem gerar prejuízo no processo de construção terapêutica.